Ministro da Saúde e prefeitos debaterão epidemia de dengue com senadores

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, será um dos convidados para debater na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) a epidemia de dengue no país. Proposta de audiência pública, ainda sem data definida, foi aprovada pela comissão nesta quarta-feira (6). Sugerido pelo senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), o requerimento acabou subscrito por outros senadores. Para Crivella, é necessário conhecer as estratégias e ações de diferentes áreas de governo para enfrentar a epidemia.

Serão também chamados dois prefeitos para relatar as dificuldades que enfrentam para combater o Aedes aegypti, o mosquito transmissor: o titular  de uma prefeitura de grande orçamento e outro que esteja à frente de um município pobre, que estejam igualmente enfrentando o avanço da doença.

Em princípio, a ideia é trazer os prefeitos dos municípios de São Paulo (SP), Fernando Haddad, e de Cruzeiro do Sul (AC), Vagner Sales. São localidades com diferentes realidades orçamentárias, mas com o problema comum da dengue. A inclusão de dois prefeitos entre os convidados foi solicitada pelo senador Sérgio Petecão (PSD-AC).

Para Petecão, não adianta apenas ouvir as autoridades federais, pois a dengue está nos municípios, que quase sempre não dispõem de meios e infraestrutura para evitar a proliferação do mosquito transmissor. A seu ver, o depoimento de prefeitos pode ajudar nas soluções. Antes, Otto Alencar (PSD-BA) já havia criticado a tendência de se culpar municípios e estados pelo problema da dengue.

A lista de convidados inclui também laboratórios que estão pesquisando uma vacina contra a dengue e ainda a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Números

Até 18 de abril, foram registrados em todo o país 745.957 novos casos de dengue. O ministro Chioro admitiu na segunda-feira (4) que os números devem crescer. Também salientou que a epidemia é concentrada em sete estados, onde as ocorrências da dengue estão acima de 300 casos por 100 mil habitantes: Acre (1.064,8 casos); Goiás (968,9); São Paulo (911,9); Mato Grosso do Sul (462,8); Tocantins (439,9); Rio Grande do Norte (363,6); e Paraná (362,8).

Transplantes

Foi ainda aprovado pedido de audiência para que seja ouvido pela comissão o médico nefrologista José Osmar Medina Pestana, que dirige o programa de transplantes do Hospital do Rim, da Fundação Oswaldo Ramos, ligada à Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Criado em 1983, o programa é reconhecido como o maior do mundo em transplantes de rins.

O pedido de audiência foi feito pelo senador Waldemir Moka (PMDB-MS), que deseja obter do especialista informações para subsidiar seu relatório ao projeto de lei PLS 21/2014, que obriga operadoras de planos e seguros de saúde a cobrir os custos de exame de morte encefálica, para viabilizar a remoção de órgãos, tecidos e partes do corpo para fins de transplantes e tratamentos.

Decisões adiadas

Os projetos de lei que estavam agendados para votação na reunião dia foram transferidos para a próxima semana por dois motivos principais: em decorrência de pedido dos relatores, ou por insuficiência de quórum para deliberação, no caso das matérias terminativas.

Estavam na pauta, entre outros, o PLS 544/2013, do senador Vicentinho Alves (PR-TO), que proíbe os planos de saúde de recusar tratamento a pessoas com malformações congênitas e doenças raras. O relatório do senador Moka, lido na reunião, é favorável à aprovação da proposta, na forma de um texto substitutivo.

Fonte:  Agência Senado)

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Barra Do Corda portal de notícias, tudo sobre a nossa cidade com:

Rapidez, Verácidade e Ética.

Não se esqueça de se inscrever para receber nossas notícias. Digite seu e-mail e saiba tudo sobre Barra do Corda a nossa cidade.

Informações

Chat
Enviar via WhatsApp
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com