Trocas de insultos marcam semana no Congresso

A última semana no Congresso Nacional não vai ser lembrada por votações importantes ou debates sobre projetos, mas por brigas, bate-bocas e trocas de insultos entre parlamentares, ministros e manifestantes nas dependências do Legislativo.

Em um dos episódios mais tensos, o deputado João Rodrigues (PSD-SC) – defensor da proposta de mudanças no Estatuto do Desarmamento – criticou na última quarta-feira (28), no plenário da Câmara, o colega do PSOL Jean Wyllys (RJ), chamando-o de “escória deste país”.

Na resposta, Wyllys acusou o deputado do PSD de “fascista” e lembrou do episódio no qual Rodrigues foi flagrado por uma emissora de TV assistindo a um vídeo pornô em uma sessão da Casa, em maio.

Outra discussão acalorada envolveu nesta quinta (29) o líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), e o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga – senador licenciado. Em meio a um bate-boca no Senado, os dois se chamaram de “bandido” e “safado”.

‘Vagabundos’ (terça-feira, 27):
O deputado Sibá Machado, líder do PT na Câmara, se irritou com manifestantes que foram à Casa na terça-feira pedir o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Nas galeria do plenário, durante a sessão, os manifestantes estenderam duas faixas com as inscrições “Impeachment” e “Fora, Dilma”.

No momento em que o deputado Wadih Damous (PT-RJ) foi à tribuna discursar em defesa da presidente, os manifestantes começaram a vaiá-lo e a gritar “fora petista” e “a roubalheira do PT está acabando”.

Card do líder do PT na Câmara, Sibá Machado (Foto: Gustavo Lima / Câmara dos Deputados)

No meio do plenário, Sibá Mahcado se exaltou. No microfone, chamou os manifestantes de “vagabundos” e disse que iria colocá-los “para correr”.

“Eu vou juntar gente e vou botar vocês pra correr daqui de frente do Congresso. Bando de vagabundos. Vocês são vagabundos. Vamos pro pau com vocês agora”, gritou Sibá Machado.

‘Mentiroso’ (terça-feira, 27)
Em meio à votação da PEC que muda as regras de demarcação de reservas indígenas, deputados favoráveis e contrários à proposta travaram duras discussões no plenário da comissão especial.

Card do deputado Glauber Braga (Foto: Luiz Alves / Agência Câmara)

O deputado Glauber Braga (PSOL-RJ), contrário à proposta, queria que a votação fosse adiada para que os parlamentares discutissem mais a matéria, mas não teve a solicitação atendida.

Ele afirmou que o relator, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), havia dito que daria mais tempo para discussão da matéria.

Deputados a favor da proposta disseram que Braga estava mentindo, o que o deixou revoltado(veja o vídeo acima).

“Mentiroso é o senhor. Não me chame de mentiroso, que eu não sou moleque seu […] Ninguém aqui vai baixar a cabeça para o senhor”, esbravejou Braga a um deputado ruralista.

Card líder da Rede na Câmara, Alessandro Molon (Foto: Luiz Alves / Agência Câmara)

Contrário ao projeto, o deputado Alessandro Molon (Rede-RJ) disse que não participaria da votação porque a aprovação do projeto causaria “um derramamento de sangue”. Depois da afirmação, Molon se retirou da comissão acompanhado por outros deputados ambientalistas.

‘Escória’ e ‘fascista’ (quarta-feira (28)
discussão começou quando o deputado João Rodrigues (PSD-SC) subiu à tribuna do plenário da Câmara para criticar os parlamentares que se opõem às mudanças no Estatuto do Desarmamento.

“Quero comentar algumas afirmações de alguns parlamentares que, ao comentar o Estatuto do Desarmamento, se postam como verdadeiros defensores de bandidos”, declarou Rodrigues.

“Por exemplo, o deputado Jean Wyllys, o ex-BBB, que disputou a primeira eleição com 13 mil votos. Chegou a esta Casa com a sua exposição naquele programa extremamente culto, que acrescenta demais à cultura dos brasileiros. Chegou e questionou o comportamento de cada parlamentar, chamando os parlamentares de bandidos”, complementou o deputado do PSD.

Rodrigues prosseguiu o discurso criticando posições que Jean Wyllys defende, como a descriminalização das drogas.

Card João Rodrigues (Foto: Reprodução)

Wyllys reagiu: “Ele e todos os fascistas vão ter que me engolir. Sou homossexual assumido, sim, e vocês vão ter que me engolir. Vocês não vão me intimidar”, disse.

“Posso até ser criticado, mas vindo do senhor é elogio. Um parlamentar que defende perdão para drogas, que defende que adolescente pode trocar de sexo, mesmo sem autorização dos pais. Isso não é deputado, é a escória deste país, mas ocupa lugar como deputado”, afirmou Rodrigues.

Card Jean Wyllys (Foto: Reprodução)

Wyllys também relembrou episódio no qual o colega do PSD foi flagrado assistindo a um vídeo pornô durante a votação da proposta de reforma política. A cena foi divulgada pelo SBT.

“Homens decentes não assistem vídeos pornôs em plena sessão plenária, não são condenados por improbidade administrativa, como o deputado foi. Quem não tem moral para representar o povo brasileiro é ladrão. Qualquer programa de televisão é mais decente que deputado que rouba dinheiro do povo. É mais decente que deputado que usa sessão para ver vídeo pornô”, disse Jean Wyllys. “Resta saber se seu vídeo pornô era hétero ou não”, ironizou.

‘Bandido’ e ‘safado’ (quinta-feira, 29)
O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, era o convidado de uma audiência pública da Comissão Mista de Mudanças Climáticas do Congresso Nacional.

Em meio à sessão, o líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), questionou o ministro sobre a renovação das concessões das distribuidoras e os planos de venda da Celg Distribuidora pela Eletrobras.

De repente, o senador acusou o ministro de estar “dando as costas” enquanto ele falava.

“Senhor ministro, se vossa excelência estiver ocupado e não puder ouvir a minha pergunta, eu encerro aqui”, reclamou Caiado.

Eduardo Braga pediu desculpas ao senador do DEM e respondeu que estava ouvindo “com a maior educação”.

Card do líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (Foto: Waldemir Barreto / Agência Senado)

Depois, o ministro ressaltou que tinha ido à comissão “debater clima”, mas, nesse momento, foi interrompido por Caiado. “Vossa excelência se nega todas as vezes a vir aqui discutir esse assunto.”

A partir desse momento, os ânimos começaram a se exaltar. Braga pediu que Caiado mantivesse a calma. O parlamentar do DEM, então, alegou que estava sendo desrespeitado. “Quem está sendo desrespeitoso é vossa excelência”, reagiu Braga.

Card Eduardo Braga (Foto: Reprodução)

O senador chegou a se levantar para deixar o plenário, mas, no meio do caminho, decidiu se dirigir à mesa onde Eduardo Braga estava sentado e voltou a bater boca com o ministro.

“Vossa Excelência é um desequilibrado”, disse Braga, enquanto Caiado o chamava de “bandido” e “safado”. “Bandido é vossa excelência e safado é vossa excelência. Me respeite”, disse o titular de Minas e Energia.

‘Psicopata’ (quinta-feira, 29)
Em entrevista coletiva no Salão Verde na última quinta-feira (29), o deputado Sílvio Costa (PSC-PE), um dos vice-líderes do governo na Casa, chamou o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de “psicopata” e “doente” ao ser informado que o peemedebista havia dito que ele era uma “piada”.

“Ele [Eduardo Cunha] tem que sair. Esse cara não pode continuar com esse cinismo. Esta semana, ele riu na sessão três ou quatro vezes. Ou esse cara é doente, um psicopata, ou ele está brincando com o país. Não pode continuar desse jeito”, disse Sílvio Costa.

Card do deputado Silvio Costa (Foto: Luis Macedo / Câmara dos Deputados)

Fonte:  G1, em Brasília

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Barra Do Corda portal de notícias, tudo sobre a nossa cidade com:

Rapidez, Verácidade e Ética.

Não se esqueça de se inscrever para receber nossas notícias. Digite seu e-mail e saiba tudo sobre Barra do Corda a nossa cidade.

Informações

Chat
Enviar via WhatsApp
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com