CPI da Petrobras ouve hoje Barusco, delator da Lava Jato

A CPI da Petrobras fará nesta terça-feira (10) a partir das 9h30 uma sessão para ouvir o ex-gerente de Serviços da Petrobras, Pedro Barusco.  Ele será o primeiro convocado que comparecerá ao colegiado para prestar depoimento.  Na última quinta-feira (5), a comissão convocou também os ex-presidentes da Petrobras Graça Foster e Sergio Gabrielli, entre outros nomes da estatal e de empreiteiras. Ainda não há data definida para os depoimentos.

A audiência com Barusco na CPI interessa tanto a petistas quanto a tucanos. Em seu acordo de delação premiada, ele acusou o PT de receber entre US$ 150 milhões e US$ 200 milhões em propina oriunda de contratos da estatal. Ele afirmou que os valores se referem a propina em 90 contratos da Petrobras com grandes empresas fechados entre 2003 e 2013, durante os governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

Por outro lado, Barusco disse que começou a receber propinas de empresas em 1997, durante o governo Fernando Henrique Cardoso.

A sessão que deverá ouvir Barusco nesta terça começará com uma indefinição. A defesa do ex-gerente da Petrobras apresentou um pedido à CPI para que a sessão em que ele prestará depoimento seja secreta, ou seja, só com a presença de parlamentares. O presidente da comissão, no entanto, quer que a sessão seja reservada, o que possibilitaria também a presença de taquígrafos e assessores parlamentares. A decisão caberá aos membros da CPI.

No requerimento que solicita a sessão secreta, a advogada Beatriz Catta Preta usa como base um artigo da lei sobre organizações criminosas que prevê que o colaborador não seja fotografado ou filmado sem a sua autorização prévia. Barusco fez um acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal.

Na semana passada, a CPI chegou a enviar um ofício à Justiça Federal no Paraná pedindo autorização para que Barusco fosse ouvido pela comissão – a informação do colegiado era de que ele estava em prisão domiciliar. No entanto, por conta do acordo com os promotores, Barusco está solto e a convocação foi, então, encaminhada para a defesa dele.

Abertura de inquéritos
Na última sexta-feira (6), o ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a abertura de inquérito para investigar 49 pessoas – das quais 47 políticos – suspeitos de participação no esquema de corrupção da Petrobras revelado pela Operação Lava Jato.

A presidente Dilma Rousseff e o senador Aécio Neves (MG), presidente nacional do PSDB, foram citados em depoimentos de delatores, mas tanto a Procuradoria Geral da República quanto o ministro Zavascki entenderam que a investigação em relação a ambos não se justificava.

Entre os que serão investigados, há 22 deputados federais, 12 senadores, 12 ex-deputados e uma ex-governadora, pertencentes a cinco partidos, além de dois dos chamados  “operadores” do esquema – o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, e lobista Fernando Soares, o “Fernando Baiano”.

Fonte: G1, em Brasília

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Barra Do Corda portal de notícias, tudo sobre a nossa cidade com:

Rapidez, Verácidade e Ética.

Não se esqueça de se inscrever para receber nossas notícias. Digite seu e-mail e saiba tudo sobre Barra do Corda a nossa cidade.

Informações

Chat
Enviar via WhatsApp
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com