A história de amor entre Cunha e Cláudia Cruz

RIO – Nos anos 1990, Cláudia Cruz era a dona da voz da linha de 102 (que informava endereços de assinantes) da antiga Telerj. A ideia partiu de Eduardo Cunha, então presidente da empresa — designado pelo presidente Fernando Collor — e agora no comando da Câmara, que encantara-se pela jovem loura, após uma entrevista. A relação entre Cláudia e Cunha começava ali. “Ele é meu e eu o amo”, escreveu recentemente numa rede social.

Em 1997, ao exibir sua intimidade, Cláudia apareceu ao lado das duas filhas — a mais nova do relacionamento com Cunha — para a mensagem de fim de ano da Rede Globo, onde era uma das apresentadoras do telejornalismo: “o futuro já começou”. Dezoito anos depois, a mulher do parlamentar volta a ter a vida mostrada na TV. A nova aparição, porém, pode representar o começo de uma história capaz de levá-la junto com o marido e uma das enteadas ao banco dos réus do Supremo Tribunal Federal por lavagem e evasão de divisas.

Desde que surgiu a primeira denúncia envolvendo Cunha com propina na Lava-Jato, os investigadores apostavam na suspeita de que o parlamentar usava a família para esconder os ganhos ilegais. A descoberta de que Cláudia, de 48 anos, era a titular de uma das contas de Cunha na Suíça provou que eles estavam certos. Cerca de R$ 9,6 milhões foram bloqueados no exterior. Por decisão do STF, o dinheiro será transferido para o Brasil para uma conta judicial.

O patrimônio de Cunha proporciona uma vida de luxo. Cláudia pagou, por exemplo, US$ 59,7 mil por aulas de tênis no centro de treinamento do ex-tenista Nick Bollettieri, na Flórida, referência mundial do esporte. Uma frota de carros de luxo também foi identificada como do casal.

O inquérito acabou interrompendo a alegre agenda de primeira-dama da Câmara, expressa pelos sorrisos de Cláudia e comentários divulgados pela própria, nas redes sociais, sobre a experiência de viajar com o marido em missões oficiais mundo afora.

Cláudia é a segunda mulher de Cunha. No primeiro casamento, com Cristina Bastos Dytz, o deputado teve três filhos: Danielle, publicitária e apontada como uma das beneficiárias das contas na Suíça, Camilla e Felipe. Com a jornalista, ele teve Bárbara, conhecida como Babu.

Após a união, da antiga profissão de Cláudia, restou a sociedade com o marido na C3 Produções Artística e Jornalística, alvo da Lava-Jato. Ela também é sócia na loja de decoração Evandro Júnior, do amigo de mesmo nome que conheceu há mais de 30 anos. Mas hoje é conhecida nas rodas sociais por apreciar bons vinhos e alta gastronomia e acompanhar as tendências de moda com roupas de grife. Em 2011, o casal foi visto, em Paris, no restaurante La Tour D’Argent, um dos mais caros do mundo.

O gosto pela gastronomia de Cláudia é compensado por malhação na Companhia Atlética, academia de emergentes da Barra, onde chegava a bordo de um Porsche Cayenne prata. Ela é conhecida pelo guarda-roupas impecável e caro e pelas formas do corpo. Magra, perdeu peso após descobrir uma alergia a glúten. Ao contrário de Cunha, cuidadoso em esconder a vida pessoal do casal, Cláudia gosta de divulgar fotos da família e de aparições em colunas sociais. Admiradora de artes plásticas, também frequenta eventos de moda e encontros de mulheres ricas.

Fonte:  CÁSSIO BRUNO, CHICO OTAVIO E MARCELO REMIGIO do site http://oglobo.globo.com/

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Barra Do Corda portal de notícias, tudo sobre a nossa cidade com:

Rapidez, Verácidade e Ética.

Não se esqueça de se inscrever para receber nossas notícias. Digite seu e-mail e saiba tudo sobre Barra do Corda a nossa cidade.

Informações

Chat
Enviar via WhatsApp
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com