Desvios na Saúde renderam mais de R$ 200 mi a políticos no MA, diz PF

O inquérito da operação Sermão aos Peixes, executada pela Polícia Federal na segunda (16) e terça-feira (17), concluiu que mais de R$ 200 milhões em recursos federais do Fundo Nacional de Saúde (FNS) foram parar em campanhas eleitorais no Maranhão.

Durante a operação, que apura desvios em verbas da saúde, a PF cumpriu 13 mandados de prisão preventiva, 60 mandados de busca e apreensão e 27 mandados de condução coercitiva. A operação foi uma ação conjunta da Polícia Federal, do Ministério Público Federal e da Controladoria-Geral da União (CGU).

A TV Globo teve acesso às conclusões da Polícia Federal reproduzidas na decisão que autorizou prisões e buscas na operação.

O documento aponta R$ 205,6 milhões repassados por pessoas e empresas a candidatos, comitês e partidos nas  eleições de 2010, 2012 e 2014.

Segundo a investigação, o dinheiro ia para políticos aliados de Ricardo Murad, secretário de Saúde na gestão da ex-governadora do Maranhão Roseana Sarney, de quem ele é cunhado.

A mulher de Murad, a prefeita de Coroatá (MA), Maria Teresa Trovão Murad, também teria sido beneficiada. Nesta terça, Ricardo Murad prestou depoimento à Polícia Federal em São Luís.

O advogado Marcos Lobo, que defende Ricardo Murad e a mulher, informou por telefone que não vai se pronunciar enquanto não tiver conhecimento da acusação oficial.

O suposto esquema
Segundo a investigação, Murad tinha participação ativa no esquema. “Os candidatos  apoiados por Ricardo Murad foram benenficiados com recursos oriundos da adtividade de desvio de verbas pelas pessoas jurídicas e físicas aquinhoadas com a direção de estabelecimentos hospitalares em um total de R$ 205.684.665,76”, diz a autoridade policial.

De acordo com o documento, o esquema beneficiou não só aliados mas também a mulher de Murad, a prefeita de Coroatá, Maria Teresa Trovão Murad, que, segundo a PF, recebeu R$ 186 mil.

Na decisão que autorizou a ação desta terça-feira da PF, o juiz federal Roberto Carvalho Veloso diz que a autoridade policial “logrou mostrar que  além da prefeita Maia Teresa Trovão Murad, esposa de Ricardo Murad, a Litucera [empresa suspeita de envolvimento no desvio] financiou a campanha de mais de 60 candidatos a vereador, sendo que foram eleitos 7 vereadores do total de 13, que corresponde a 53% do total de vereadores da Câmara Municipal”.

A TV Globo não conseguiu localizar os representantes da empresa Litucera.

O juiz federal relatou na decisão que a PF pediu a prisão preventiva do ex-secretário de Saúde, mas ele negou o pedido e autorizou que Murad fosse alvo de condução coercitiva, ou seja, convocado a depor e esclarecer sua suposta participação no esquema. O juiz bloqueou dinheiro e aplicações de Murad em contas bancárias.

Fonte: Camila Bomfim Da TV Globo, em Brasília

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Barra Do Corda portal de notícias, tudo sobre a nossa cidade com:

Rapidez, Verácidade e Ética.

Não se esqueça de se inscrever para receber nossas notícias. Digite seu e-mail e saiba tudo sobre Barra do Corda a nossa cidade.

Informações

Chat
Enviar via WhatsApp
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com