(Dengue) Virose assola os cidadãos cordinos

Ninguém sabe direito a causa, existem hipóteses que seja a água, ou as picadas dos mosquitos, o certo é que muitos cidadãos de Barra do Corda, foram acometidos de uma nova doença, que na fase inicial parece com alergia, deixando o corpo todo empolado e muita coceira, no segundo dia, trazendo fortes dores de cabeça, nos músculos, articulações, além de febre alta e intenso desgaste físico.

Os médicos de Barra do Corda, solicitaram a caema que a água, fosse analisada, os ambulatórios estão repletos de pessoas com os mesmos sintomas, devido ao período da chuva os ataques de mosquitos entre eles o da dengue. Há quem diga que essa nova doença seja uma variação da dengue.

Ai vai uma Dica – Todos nós estamos sujeitos a contrair dengue, mas as crianças e os idosos formam a população que está mais sujeita a complicações decorrentes da doença, que têm deixado as autoridades de saúde de Barra do Corda em alerta diante desta Doença, A epidemia causada pelo Aedes aegypti, mosquito que também causa a chicungunha.

Diagnóstico precoce
É essencial fazer tanto um diagnóstico clínico – que avalia os sintomas – como o exame laboratorial de sorologia, que verifica a contagem de hematócritos e plaquetas no sangue. A contagem de hematócritos acima do normal e de plaquetas abaixo de 50 mil por milímetro cúbico de sangue pode ser um indício de dengue.

O exame de sangue, por si só, não determina se o paciente está com dengue ou não. É preciso diagnosticar também os sintomas. Esses dois fatores vão determinar as condições do paciente.

Período crítico
O período crítico da doença é quando a febre do paciente diminui. Se a febre passar e o paciente tiver muita dor na barriga, ele está num estado grave mesmo sem sangramento. Esse poder ser um problema no atendimento primário nos hospitais porque geralmente as pessoas com febre são atendidas prioritariamente.

Ao passar a febre, a pessoa pensa que está curada, mas pode apresentar queda brusca de pressão, mal-estar e manchas vermelhas pelo corpo. O número de plaquetas no sangue ainda continua baixo e, por isso, é preciso continuar o tratamento.

O monitoramento clínico e laboratorial tem de ser constante, principalmente 72 horas após o período de febre. A complicação maior acontece no quinto dia da doença. O paciente tem de fazer pelo menos três exames de sangue, no início da dengue, depois da febre e uma terceira vez para ver se as plaquetas já voltaram ao normal.

Tratamento
A hidratação do paciente é parte importante do tratamento, pois a dengue é uma doença que faz a pessoa perder muito líquido. Por isso, é preciso beber muita água, suco, água de coco ou isotônicos. Bebidas alcoólicas, diuréticas ou gaseificadas, como refrigerantes, devem ser evitadas.

Não existe um medicamento específico para a doença. A medicação serve basicamente para aliviar as dores.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Barra Do Corda portal de notícias, tudo sobre a nossa cidade com:

Rapidez, Verácidade e Ética.

Não se esqueça de se inscrever para receber nossas notícias. Digite seu e-mail e saiba tudo sobre Barra do Corda a nossa cidade.

Informações

Chat
Enviar via WhatsApp
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com