gov
Brasileiro que morreu em garimpo do “Grankrika” no Suriname é de Barra do Corda – barradocorda.com – Ribamar Guimarães – “o bom maranhense”
Publicado em: 31 de outubro de 2018 - 10:58

Brasileiro que morreu em garimpo do “Grankrika” no Suriname é de Barra do Corda

De acordo com relato da filha que mora na cidade de Manaus-AM, o pai, Antônio Carlos Da Silva Vieira natural de Barra do Corda, de 49 anos de idade, faleceu por volta das 14h de ontem no garimpo do “Grankrika” no Suriname.

Antônio Carlos Da Silva Vieira era irmão de Maria Enes que mora em Barra do Corda, a família não tem como trazer o corpo. Estão tentando.
O telefone de contato para quem puder ajudar é (99) 981701324.

A família que vivem em Barra do Corda, mora na Avenida José Delfino de Meneses, ao lado do bar do Fabim.
Vamos ajudar!

Carla Silva Vieira, contou que recebeu a notícia da morte do pai na segunda-feira através de uma amiga do pai dela que mora no Suriname, informando que o brasileiro havia sofrido um ataque cardíaco. Segundo informações repassadas por brasileiros que trabalhavam com Antonio Carlos, ele passou mal quando voltava para o trabalho, logo depois do almoço e veio a óbito.

Carla, que tem outros quatro irmãos, disse que faziam 11 anos que o pai não tinha contato com eles desde que se separou da esposa e que no mês de fevereiro deste ano, depois que a família conseguiu encontrar Antônio Carlos pelo Facebook, os filhos tiveram um encontro com o pai que foi ao Brasil para encontrá-los na cidade de Manaus. (Foto acima)

“Esse ano, dia 07 de fevereiro, ele veio pra Manaus nos encontrar. Fomos buscar ele no aeroporto. Foi um reencontro emocionante… só não imaginava que esta seria a última vez que estaríamos com ele”, disse Carla, que ficou muito abalada com a notícia da morte do pai.

A filha de Antônio Carlos nos informou que o corpo do pai ainda está no garimpo do “GranKrika” porque pediram 40 gramas de ouro para levar o corpo até a beira do rio no Afobaka e depois seria cobrado outro valor em ouro para transportar o corpo até Paramaribo. Carla ficou desesperada porque disseram pra ela que se não tiver dinheiro para custear o translado, o brasileiro seria enterrado como indigente no garimpo.

“Por favor nos ajudem, queremos enterrar o corpo do nosso pai”, suplicou Carla, que disse que o pai trabalhava para o dono de um barraco conhecido por Paulo.

Com a autorização da família, fazemos um apelo a todos aqueles que puderem ajudar para que o corpo do brasileiro seja trazido para Paramaribo, que entrem em contato diretamente com a família através do telefone (Zap) +55 92 9326-4514 ou no (+597) 822-5120 para maiores informações.

Fonte: lpmnews.com

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar essas tags html: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Rádio

Enquete

Se você fosse o Presidente Eleito do Brasil o que melhoraria de imediato no País?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

Videos

Facebook