Venezuela confirma a prisão de prefeito opositor de Maduro

CARACAS — O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, confirmou a prisão do prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, e afirmou que o político responderá por “delitos cometidos contra a paz do país, a segurança e a Constituição”, em um discurso transmitido na televisão no fim da noite de quinta-feira. No pronunciamento, Maduro pediu para que o povo esteja preparado para enfrentar qualquer cenário que possa ocorrer na Venezuela, acusando o prefeito de estar envolvido numa suposta tentativa de golpe militar deflagrada na semana passada, com o apoio dos Estados Unidos. O departamento de Estado americano classificou como falsa as acusações de Maduro. Ainda não se sabe do paradeiro de Ledezma, que foi levado pelos Serviço Bolivariano de Inteligência (Sebin).

— Antonio Ledezma será processado pela Justiça venezuelana para que responda por todos os delitos cometidos contra a paz, a segurança, a Constituição. Peço apoio de todo o povo para consolidar a paz, já basta de conspirações — disse Maduro, completando que o prefeito foi preso “por ordem da Procuradoria”.

No Twitter, a mulher de Ledezma, Mitzy Capriles, responsabilizou o governo pela vida do marido e cobrou informações sobre seu paradeiro. Segundo ela, o prefeito teria apanhado.

“Faço Nicolás Maduro responsável pela vida do meu marido. Ele é perseguido por falar a verdade e lutar pela democracia”, disse Mitzy, usando a conta oficial do prefeito.

O presidente venezuelano chamou Ledezma de “vampiro” e afirmou que vai lutar com punho de ferro contra “conspiradores”. Maduro reiterou sua denúncia lançada há alguns dias de que a oposição estaria armando, com apoio dos Estados Unidos, uma tentativa de golpe contra seu governo.

Como prova, Maduro citou um documento assinado por Ledezma, pelo também líder opositor Leopoldo López e por María Corina Machado, destituída do cargo de deputada em 2014. Denominado “Acordo Nacional para a Transição”, o texto teria sido divulgado pela imprensa local em 11 de fevereiro passado, apresentando uma série de propostas políticas e econômicas.

— Apenas por meio da Justiça, poderemos derrotar essas tentativas de golpe de Estado e dar ao país paz permanente. Quem estiver por trás desses atentados golpistas tem de ir pagar na cadeia, tem de ir preso — alegou Maduro.

PUBLICIDADE

De acordo com a imprensa local, Maduro anunciou que pedirá ao presidente da Assembleia Nacional, Diosdado Cabello, e ao procurador-geral que preparem um conjunto de propostas legislativas contra grupos que “fazem política armada e logo depois aparecem com cara de cordeiros para participar das eleições”.

Repetindo as declarações que fez na semana passada, Jen Psaki, porta-voz do Departamento de Estado americano, aconselhou a Venezuela a “parar de tentar desviar a atenção dos problemas econômicos e políticos do país” com tais acusações, “e concentrar-se em encontrar soluções reais” através do diálogo diplomático.

“As acusações feitas pelo governo venezuelano de que os Estados Unidos estão envolvidos em conspirar por um golpe e pela desestabilização não têm fundamento e são falsas”, disse Jen Psaki, em comunicado. “Os Estados Unidos não promovem a desestabilização da Venezuela e muito menos estão tentando prejudicar a economia do governo venezuelano”.

 

Fonte: O GLOBO / COM AGÊNCIA INTERNACIONAIS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Barra Do Corda portal de notícias, tudo sobre a nossa cidade com:

Rapidez, Verácidade e Ética.

Não se esqueça de se inscrever para receber nossas notícias. Digite seu e-mail e saiba tudo sobre Barra do Corda a nossa cidade.

Informações

Chat
Enviar via WhatsApp
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com