Trump e Hillary vencem primária no Arizona

WASHINGTON – Donald Trump e Hillary Clinton conquistaram nesta terça-feira esperadas vitórias nas primárias de seus respectivos partidos Republicano e Democrata, no estado do Arizona, consolidando vantagens na corrida à Casa Branca.

O magnata derrotou facilmente seu principal rival, o senador ultraconservador Ted Cruz, obtendo todos os 58 delegados em disputa no estado do sudoeste dos Estados Unidos, segundo as projeções das redes de televisão Fox News, NBC e CNN.

Segundo projeções das redes de televisão Fox News e CNN, Hillary teve quase o dobro da votação de Bernie Sanders, o senador que se mantém na campanha apesar da enorme vantagem da ex-secretária de Estado. Hiilary ficou com a maior parte dos 75 delegados em disputa.

Ted Cruz venceu o caucus de Utah, segundo projeções, com mais de 50% dos votos, e levou os 40 delegados em jogo. Sanders venceu entre os democratas. Com 15,3% de apuração, o senador tinha 74,1% dos votos. Em Idaho, o senador democrata também venceu com folga: 78%, levando 18 delegados.

Com 98 delegados em jogo para as prévias, o foco de Trump estava no Arizona. Estado limítrofe com o México — alvo de acusações e ameaças de construção de muro pelo magnata —, o local dá todos os seus 58 delegados a quem vence a disputa entre os republicanos. É um ponto de vantagem para Trump, que figurava com ampla vantagem sobre os rivais Ted Cruz e John Kasich, os únicos restantes na disputa, por conta de seus discursos inflamados contra a integração de mexicanos no Sul.

Pouco após os atentados na Bélgica, o magnata afirmou que a imigração islâmica no país europeu “acabou com Bruxelas”.

— Quem tentar atacar os EUA sofrerá muito — advertiu o magnata, em entrevista à Fox News, reiterando sua convicção de que o país deveria fechar as fronteiras “até que saibamos o que está acontecendo”, discurso que enfureceu os rivais quando ele propôs barrar a entrada de muçulmanos não residentes no país, em dezembro.

Mais uma vez, Trump defendeu torturas como afogamento simulado e outras “muito piores” para suspeitos de terrorismo.

— A Bélgica se tornou um filme de terror. São coisas horríveis. As pessoas vão embora. As pessoas têm medo. E, francamente, isto acontece porque alguns não se integram. Não permitiremos que isto aconteça em nosso país. Se isto acontecer, encontraremos os responsáveis e eles sofrerão muito — acrescentou ao canal.

Já em Utah, onde Cruz — senador pelo Texas — mantinha vantagem nas pesquisas, os 40 delegados são distribuídos de forma proporcional aos votos.

Hillary quer ‘mãos firmes’

Um dia antes, os rivais na disputa republicana se juntaram contra Trump durante um dia de discursos no lobby pró-israelense Aipac (Comitê de Assuntos Públicos EUA-Israel, em português). Cruz e Kasich defenderam um apoio mais firme ao maior aliado dos EUA.

— Meu oponente republicano na liderança prometeu que, se presidente, seria neutro sobre a questão Israel-Palestina. Deixem-me ser claro. Não serei assim — disse Cruz, rejeitando a solução a favor de um Estado palestino e chamando o grupo radical Hamas de “monstros terroristas que usam crianças como escudo humano”.

Trump defendeu que é “imprescindível desmontar o desastroso acordo nuclear com o Irã”.

Cada vez mais à frente na disputa democrata, Hillary Clinton não poupou críticas ao rival. A ex-secretária de Estado dos EUA disse que são necessárias “mãos firmes, não um presidente que na segunda diz que é neutro, na terça é pró-Israel, e sabe-se lá o que dirá na quarta-feira”.

Judeu, Sanders foi o único a não discursar à plateia do Aipac.

Fonte; O GLOBO

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Barra Do Corda portal de notícias, tudo sobre a nossa cidade com:

Rapidez, Verácidade e Ética.

Não se esqueça de se inscrever para receber nossas notícias. Digite seu e-mail e saiba tudo sobre Barra do Corda a nossa cidade.

Informações

Chat
Enviar via WhatsApp
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com