Temer diz ao Conselhão que tentativa de ‘disfarçar a verdade’ gerou a crise

O presidente da República, Michel Temer, reuniu nesta segunda-feira (21) no Palácio do Planalto – pela primeira vez em sua gestão – o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), o chamado “Conselhão”.

Ao discursar aos 96 integrantes do grupo – entre os quais o ator Milton Gonçalves, o ex-jogador Raí e o técnico da seleção de vôlei Bernardinho –, o peemedebista afirmou que a crise pela qual o país passa teve origem em uma tentativa “gigantesca” de “disfarçar a verdade”.

Ele falou ainda aos conselheiros que, ao assumir a Presidência, encontrou o país em uma situação na qual, além do déficit fiscal, havia “um certo déficit de verdade”, referindo-se a supostas tentativas de “ludibriar” a realidade.

Ao longo dos 42 minutos de discurso de abertura no encontro do “Conselhão”, Temer disse que só será possível vencer a crise se “trocarmos o ilusionismo pela lucidez”.

“No Brasil que nós encontramos, não havia apenas um déficit fiscal. Havia também, lamento dizer, um certo déficit de verdade, e não é possível continuar assim. A gigantesca crise que enfrentamos é, em parte, produto de tentativas de disfarçar a verdade”, declarou o peemedebista.

“Encarar a verdade muitas vezes é difícil. Mas, se você não encará-la, você irá ludibriar aqueles a quem nós servimos”, completou.

O presidente destacou aos conselheiros que, na opinião dele, é importante o governo contar com o apoio do Congresso Nacional para fazer as reformas necessárias para fazer o país voltar a crescer, entretanto, ele disse que isso não basta. Na avaliação do presidente, também é importante o apoio da sociedade.

“Precisa ter governo, precisa ter apoio político e precisa ter apoio da sociedade”, discursou.

Ao encerrar o encontro, Temer pediu que os conselheiros divulguem as ideias discutidas na reunião, por exemplo, em entrevistas e palestras, para que as propostas defendidas pelo governo entrem “no espírito e na alma” da população.

“Os senhores são ouvidos a todo momento. […] Peço que divulguem os discursos que se fizeram aqui nessa reunião. Isso vai entrando no espírito e na alma, deixando as pessoas animadas. Peço que façam propaganda, no sentido de propagar, o que foi debatido.”

Dos conselheiros, discursaram o publicitário Nizan Guanaes, a empresária Luiza Trajano e o cientista político Murilo Aragão. Guanaes, classificou de “fundamentais” as reformas propostas pelo governo Temer.

Ajuste fiscal
Ao se dirigir aos conselheiros, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que nenhum projeto de ajuste fiscal aplicado se revelou eficiente para contornar a situação financeira do Brasil e ressaltou que o déficit do país continua aumentando.

“Não há até agora nenhuma evidência de que os projetos de ajuste fiscal tenham funcionado até o momento. O resultado é um crescimento constante [das despesas]”, disse.

O titular da Fazenda ainda mostrou aos conselheiros como se encontra o déficit primário, os valores de cargas tributárias e citou projeções de despesas da Previdência Social se a reforma proposta pelo governo não for aprovada.

“Só para manter o déficit, seria necessário aumentar a carga tributária em 10% do Produto Interno Bruto (PIB). […] O que fazer então? Foco na contenção permanente de despesas e no aumento temporário de receita. Por exemplo, o programa de repatriação”, alegou.

Mulheres
Duramente criticado por ter montado um ministério sem mulheres quando assumiu a Presidência, Temer fez questão de ressaltar aos conselheiros que ele dobrou a representatividade feminina no “Conselhão” em comparação ao grupo que assessorava Dilma.

Atualmente, a única mulher no primeiro escalão do governo Temer é a advogada-geral da União, Gracie Mendonça.

‘Conselhão’
A primeira parte do encontro com os conselheiros começou às 9h30 e se encerrou por volta das 12h30, para o intervalo do almoço.

O presidente oferecerá um almoço aos integrantes do “Conselhão” no Palácio da Alvorada. Ao final do banquete, os conselheiros retornarão para o Planalto para a segunda parte da reunião. A etapa final do encontro será comandada pelo chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha.

Criado em 2003 no governo Luiz Inácio Lula da Silva, o “Conselhão” é um órgão de assessoramento do presidente da República.

O “Conselhão” tem como função auxiliar o chefe do Executivo a elaborar políticas públicas capazes de fazer com que o país cresça economicamente e se desenvolva na área social. Cabe ao presidente da República escolher quem integrará o conselho.

A última vez que os conselheiros da Presidência foram convocado foi em janeiro deste ano, ainda na gestão de Dilma Rousseff.

Além dos conselheiros celebridades, o “Conselhão” de Temer é integrado por pesos pesados do empresariado, como Abílio Diniz (BRF), Claudia Sender (TAM), Jorge Gerdau (Gerdau), e Luiza Trajano (Magazine Luiza).

Também fazem parte do grupo de assessoramento dirigentes das principais entidades empresariais e industriais do país, como Robson Braga (Confederação Nacional da Indústria) e Paulo Skaf (Fiesp).

Apesar de não fazer parte do “Conselhão”, o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), também participou do encontro no Palácio do Planalto.

O próximo encontro do “Conselhão” está marcado para 7 de março do ano que vem (veja ao final desta reportagem a lista completa dos integrantes do “Conselhão”).

Geddel
Apesar de ser um dos ministros mais próximos de Michel Temer e responsável pela articulação política do Palácio do Planalto, o chefe da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, não participou da reunião do “Conselhão” nesta segunda-feira.

Na última semana, o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero acusou Geddel de tê-lo pressionado a liberar a construção de um empreendimento imobiliário em Salvador embargada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico (Iphan) e no qual o titular da Secretaria de Governo comprou um apartamento.

Segundo Calero, a postura do ex-colega foi o principal motivo que o levou a deixar a Esplanada dos Ministérios.

Além de Eliseu Padilha, também compareceram ao encontro do Conselhão os ministros Henrique Meirelles (Fazenda) e Mendonça Filho (Educação).

A assessoria de Geddel informou que o ministro está voltando de Salvador, onde passou o final de semana, e deve dedicar a agenda nesta segunda-feira apenas a “despachos internos”.

A Comissão de Ética Pública da Presidência vai analisar nesta segunda se abre ou não processo para investigar a conduta do ministro da Secretaria de Governo no episódio denunciado por Marcelo Calero.

Veja abaixo quem são os 96 integrantes do “Conselhão” de Temer:

– Abílio dos Santos Diniz
– Ana Maria Malik
– Ana Maria Martins Machato
– Andreia Cristina Brito Pinto
– Anielle Falcão Guedes
– Anna Maria Chiesa
– Antonio Fernandes dos Santos Neto
– Ariovaldo Santana da Rocha
– Armando Manuel da Rocha Castelar Pinheiro
– Benjamin Steinbruch
– Bernardo Rocha de Rezende
– Chieko Nishimura Aoki
– Claudia Sender Ramirez
– Claudio Luiz Lottenberg
– Clemente Ganz Lúcio
– Dan Ioschpe
– Dorothéa Fonseca Furquim Werneck
– Edson de Godoy Bueno
– Eduardo Eugênio Gouvea Vieira
– Eduardo Navarro de Carvalho
– Eliana Calmon Alves
– Elizabeth Maria Barbosa de Cavalhaes
– Fábio José Silva Coelho
– Francisco Carlos Teixeira da Silva
– Francisco Deusmar de Queirós
– Francisco Gaudêncio Torquato do Rêgo
– George Teixeira Pinheiro
– Germano Rigotto
– Gilberto de Almeida Peralta
– Gisela Batista
– Guilherme Afif Domingos
– Helena Bonciani Nader
– Humberto Eustáquio César Mota
– Jackson Medeiros de Farias Schneider
– Jaime Lerner
– Janete Ana Ribeiro Vaz
– João Carlos Di Gênio
– João Carlos Gonçalves
– João Carlos Marchesan
– João Martins da Silva Junior
– Joel Malucelli
– Jorge Gerdau Johannpeter
– Jorge Luiz Numa Abrahão
– Jorge Paulo Lemann
–  José Antonio Guaraldi Felix
– José Calixto Ramos
– José Carlos Rodrigues Martins
– José Márcio Antônio Guimarães de Camargo
– José Pereira de Oliveira Júnior
– José Roberto Rodrigues Afonso
– Josué Christiano Gomes da Silva
– Laércio José de Lucena Cosentino
– Lia Hasenclever
– Lino de Macedo
– Luiz Carlos Mendonça de Barros
– Luiz Carlos Trabuco Cappi
– Luiz Mona Yabiku Junior
– Luiza Helena Trajano Inácio Rodrigues
– Luzia Torres Gerosa Laffite
– Marcos Antonio de Marchi
– Marcos Antonio Molina dos Santos
– Marcus Vinicius Furtado Coêlho
– Maria Berenice Dias
– Marie Anne Van Sluys
– Marina Amaral Cançado
– Maria Freitas Gonçalves de Araújo Grossi
– Milton Gonçalves
– Mônica Baumgarten de Bolle
– Murillo de Aragão
– Nizan Mansur de Carvalho Guanaes Gomes
– Paula Alexandra de Oliveira Gonçalves Bellizia
– Paulo Skaf
– Pedro Luiz Barreiros Passos
– Pedro Wongtschowski
– Raí de Souza Vieira de Oliveira
– Reginaldo Braga Arcuri
– Renata Maria Paes de Vilhena
– Renato Alves Vale
– Ricardo Brisolla Balestreri
– Ricardo Morishita Wada
– Ricardo Patah
– Roberto Setúbal
– Roberto Luiz Justus
– Roberto Rodrigues
– Robson Braga de Andrade
– Rosemarie Bröker Bone
– Rubens Ometto Silveira Mello
– Ruth Coelho Monteiro
– Sergio Paulo Gomes Gallindo
– Solange Maria Pinto Ribeiro
– Sonia Guimarães
– Tânia Bacelar de Araújo
– Teresa de Jesus Costa D’Amaral
– Viviane Senna Lalli
– Zeina Abdel Latif

Fonte: Luciana Amaral e Bernardo Caram Do G1, em Brasília

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Barra Do Corda portal de notícias, tudo sobre a nossa cidade com:

Rapidez, Verácidade e Ética.

Não se esqueça de se inscrever para receber nossas notícias. Digite seu e-mail e saiba tudo sobre Barra do Corda a nossa cidade.

Informações

Chat
Enviar via WhatsApp
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com