Sob vaias e aplausos, Bolsonaro desvia de perguntas em Marcha dos Prefeitos

O pré-candidato Jair Bolsonaro (PSL) evitou responder perguntas sobre municípios durante participação nesta 4ª feira (23.mai.2018) na 21ª Marcha dos Prefeitos. O evento reúne em Brasília mandatários municipais de todo o Brasil.

Bolsonaro subiu ao palco às 14h30. Na plateia, ouviram-se alguns gritos de “mito”. Entre discurso e respostas, falou por 33 minutos. Preferiu ficar em pé, apesar de a organização ter falado que poderia sentar-se.

O pré-candidato respondeu a 5 perguntas. As questões eram voltadas à sugestão de soluções para áreas como Saúde, Educação e Saneamento e aos recursos federais destinados aos municípios.

Na maioria dos casos, Bolsonaro evitou fazer promessas aos municípios e fugiu de propor soluções para problemas de nível municipal. Repetiu falas recorrentes, focadas no âmbito nacional, com críticas ao fisiologismo do Congresso e ao enxugamento ministerial.

“Não quero assumir compromissos e depois fugir dos senhores. Não tem dinheiro”, afirmou.

Em alguns momento, foram ouvidas vaias no auditório.

“Se alguém tiver uma boa ideia, que me procure. Não vim aqui para falar que sou melhor que os outros. Não tem solução fácil. Quisera eu ter buscar soluções para nosso Brasil. A Saúde também está ligada à economia. Não existe salvador da Pátria”, afirmou.

Questionado posteriormente se as vaias o incomodaram, ele respondeu: “Teve vaias? Perguntei se era para mim. Ninguém respondeu. Mas já levei muita vaia por aí”.

Ao deixar a convenção, no entanto, Bolsonaro foi cercado para tirar fotos por presentes.

ECONOMIA E PLANEJAMENTO FAMILIAR

Bolsonaro atribuiu muitos problemas à economia e mesmo à falta de segurança.

Criticou a decisão do governo de reduzir zerar a Cide sobre o diesel para controlar o aumento do combustível. “[Falam]‘Ah, vou tirar 5 centavos da Cide. Em consequência, votam reonerações.’Algumas não deveriam nem ter. Outras vão reonerar grande parte do setor produtivo. Essa é situação do Brasil”.

O militar reconheceu, no entanto, os problemas dos municípios. “Sabemos que o município, o prefeito, é o parachoque do Brasil”.

Voltou a defender a extinção do ministério das Cidades e o repasse direto de recursos para municípios.

“Tenho dito, quero ficar sábado e domingo na praia. Se não desregulamentarmos, enviarmos recursos diretamente para os municípios, isso não será possível”, brincou.

Perguntado sobre saneamento, o militar falou sobre 1 plano de planejamento familiar.

“Não estou autorizado a falar isso, mas gostaria que Brasil tivesse plano de planejamento familiar. Um homem ou mulher dificilmente vai querer ter 1 filho a mais para engordar 1 programa social. Se conseguimos resolver esse problema, grande parte do plano de saúde será resolvido”, disse sem detalhar como seria esse programa.

Fonte:   do site www.poder360.com.br

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Barra Do Corda portal de notícias, tudo sobre a nossa cidade com:

Rapidez, Verácidade e Ética.

Não se esqueça de se inscrever para receber nossas notícias. Digite seu e-mail e saiba tudo sobre Barra do Corda a nossa cidade.

Informações

Chat
Enviar via WhatsApp
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com