Presidente recebe em Havana médicos cubanos que chegam do Brasil

O presidente Miguel Díaz-Canel recebeu nesta sexta-feira (23) no aeroporto internacional José Martí, em Havana, os primeiros médicos cubanos que deixaram o Brasil por causa da ruptura com o programa Mais Médicos. O voo com os profissionais deixou Brasília nesta madrugada.

Trata-se do primeiro grupo dos mais de 8.300 cubanos que devem deixar o Brasil até 10 de dezembro, depois que Havana decidiu se retirar do acordo mantido pela Organização Panamericana de Saúde (Opas) há cinco anos com o Brasil, em reação contra as críticas do presidente eleito Jair Bolsonaro.

“Nas primeiras horas de sexta-feira começam a chegar à Pátria os apóstolos da saúde cubana que são #MasQueMedicos. Nossa homenagem aos homens e mulheres que fizeram história no Brasil. Bem-vindos em casa”, tuitou Díaz-Canel.

Regresan dignos nuestros compatriotas convertidos en porque llegaron a donde nadie llegó, para curar y atender enfermedades y para animar el alma de los necesitados. Demostraron que un mundo mejor es posible. Sentido homenaje a
O voo da Cubana de Aviación, um IL-96-300 de fabricação russa, aterrissou em Havana às 5h15 locais (8h15 em Brasília) depois de um trajeto de quase sete horas de voo.

Os 200 médicos de jaleco branco e levando bandeiras dos dois países também foram recebidos por outros dirigentes, segundo relatou o jornal “Juventud Rebelde”.

“Voltamos hoje, e assim farão nossos colegas, com toda honra e dignidade do mundo. Nunca permitiremos ameaças, nem que questionem o humanismo e o profissionalismo com que atendemos nossos pacientes brasileiros”, disse um dos médicos ao “Juventud Rebelde”, ao desembarcar.

Médicos no exterior

Bolsonaro condicionou a permanência dos médicos a uma revalidação de seu diploma e a contratos individuais com o governo brasileiro, que lhes permitissem receber o salário integral. A liberdade para trazerem suas famílias para o Brasil também foi uma condição do governo brasileiro que acaba de ser eleito.

View image on TwitterView image on Twitter

Cuba paga a seus médicos no exterior 30% do que recebem por seu trabalho, mantém seu posto de trabalho e salário na Ilha e dedica o restante dos recursos ao orçamento público, sobretudo, para o apoio de um sistema de saúde gratuito e universal para seus cidadãos.

A exportação de mão de obra profissional é a primeira atividade da economia cubana, que proporcionou mais de 10 bilhões de dólares anuais ao orçamento estatal. Esse montante baixou consideravelmente nos últimos anos, porém, devido à crise da Venezuela, onde trabalham milhares de médicos cubanos.

Desde que a decisão de Cuba foi anunciada, há uma semana, a imprensa local faz uma intensa campanha sobre o tema com fortes acusações contra Bolsonaro.

Bagagens de médicos cubanos se acumulam em saguão do Aeroporto Internacional de Brasília — Foto: Marília Marques/G1

Bagagens de médicos cubanos se acumulam em saguão do Aeroporto Internacional de Brasília — Foto: Marília Marques/G1

Por France Presse

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Barra Do Corda portal de notícias, tudo sobre a nossa cidade com:

Rapidez, Verácidade e Ética.

Não se esqueça de se inscrever para receber nossas notícias. Digite seu e-mail e saiba tudo sobre Barra do Corda a nossa cidade.

Informações

Chat
Enviar via WhatsApp
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com