Postos abusam nos preços de combustíveis no interior do MA

Com o reajuste nos preços dos combustíveis desde domingo (01), os postos de todo o Maranhão já estão vendendo a gasolina e diesel com os novos valores. Assim como em São Luís, a população de municípios como Bacabal, Santa Inês, Caxias, Codó, Açailândia e Imperatriz já estão comprando os combustíveis com os preços alterados.

Em Caxias, a 290 km de São Luís, os preços chegam ao valor de R$ 3,17, que já estava sendo cobrado há algumas semanas. Nem todos os postos da cidade já reajustaram os preços, mas confirmaram que divulgarão o reajuste esta semana.

Os consumidores de Codó podem aproveitar para abastecer o quanto antes, porque a maioria dos postos da cidade ainda não fez o reajuste de valores. Dos dez postos do município, apenas dois fizeram o reajuste. O preço mais caro é de R$ 3,44 por litro, R$ 0,34 a mais do que o cobrado antes da mudança.

Mesmo com o estoque antigo, os postos de Açailândia não perderam tempo e alteraram o preço da gasolina comum, que ficou 30 centavos mais cara, passando a R$ 3,45 por litro. O díesel agora custa R$ 2,82, vinte centavos a mais que antes.

Em Santa Inês, a gasolina varia entre R$ 3,32 e R$ 3,37, um aumento de quase R$ 0,30 por litro.

Em Balsas, no sul do estado, o aumento segue o esperado pelo Procon. O reajuste foi de R$ 0,22 na gasolina comum e R$ 0,15 para o díesel.

Em Bacabal, os motoristas conseguem encontrar a gasolina mais barata por R$ 3,16. O maior valor é R$ 3,42 por litro.

O Procon-MA notificou o Sindicato dos Revendedores de Combustível do Estado do Maranhão (Sindicomb-MA) pelo aumento abusivo no preço do combustível. “O aumento esperado era de no máximo R$ 0,22 para a gasolina e de R$ 0,15 para o diesel, no entanto, os postos do estado já praticam valores com reajuste superiores a 50 centavos”, explica o gerente do Procon, Duarte Júnior. “Estabelecemos um prazo de 48 horas para que a situação seja regularizada, e que os postos de combustíveis deixem de praticar um aumento abusivo no preço”, completou.

A notificação pelo Procon maranhense tem amparo no art. 39, incisos V e X do Código de Defesa do Consumidor (V – exigir do consumidor vantagem manifestamente excessiva; X – elevar sem justa causa o preço de produtos ou serviços). Caso os postos persistam com a comercialização de forma abusiva, o Procon aplicará as sanções previstas no art. 56 da Lei 8.078/90 e arts. 12, 13 e 18 do Decreto n° 2.181/97.

Fonte: G1 MA

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Barra Do Corda portal de notícias, tudo sobre a nossa cidade com:

Rapidez, Verácidade e Ética.

Não se esqueça de se inscrever para receber nossas notícias. Digite seu e-mail e saiba tudo sobre Barra do Corda a nossa cidade.

Informações

Chat
Enviar via WhatsApp
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com