PF intima ex-assessor de Eliseu Padilha

O delegado Tiago Delabary, responsável pelo inquérito da Odebrecht, mandou intimar um ex-assessor do ministro Eliseu Padilha (MDB-RS), da Casa Civil, e de ex-executivos da Odebrecht no inquérito que apura se houve pagamento de R$ 10 milhões da construtora ao MDB, após negociação no Palácio do Jaburu.

No último dia 4, Delabary mandou intimar o ex-assessor parlamentar de Padilha, Ibanez Filter, além dos executivos Marcelo Odebrecht e Fernando Migliaccio, este último ex-chefe do departamento de propina da Odebrecht.

Segundo depoimento revelado pela GloboNews na sexta-feira (11), Ibanez foi apontado pelo doleiro Antonio Claudio Albernaz, o Tonico, como a pessoa que recebeu, em 2014, R$ 1 milhão da Odebrecht que seria destinado ao codinome Angorá. Delatores da Odebrecht usavam Angorá para se referir a Eliseu Padilha e Moreira Franco.

Tonico informou à PF neste depoimento que, em julho ou agosto de 2014, ele foi procurado por Fernando Migliaccio, da Odebrecht, com a orientação de repassar R$ 1 milhão. “Pareceu que havia urgência na entrega”, disse.

Segundo ele, o valor foi atípico, porque normalmente fazia entregar menores de R$ 100 mil. Tonico disse ter informado a Migliaccio que não tinha como disponibilizar valores tão altos, e recebeu a resposta de que o dinheiro seria providenciado para ele.

O escritório de Tonico foi usado como ponto de entrega do dinheiro. Ele informou aos investigadores que não conhecia o homem que foi buscar os valores, mas, depois, tendo aparecido uma figura no cadastro “Angorá”, reconheceu Ibanez porque o ex-assessor de Padilha era conhecido em Porto Alegre por suas ligações com o Grupo Hospitalar Conceição.

Após o depoimento, Tonico foi solicitado a identificar, entre seis fotos de homens brancos de aproximadamente 60 anos, quem seria Ibanez Filter. Diz o documento que “o reconhecedor apontou com segurança e presteza a pessoa identificada na Foto nº 5 como sendo o mesmo que Ibanez Filter”.

A PF também intimou neste mesmo inquérito o publicitário Duda Mendonça, responsável pela campanha de Paulo Skaf (MDB) ao governo de São Paulo em 2014.

Segundo delatores, parte dos R$ 10 milhões da Odebrecht no Jaburu seria usada para pagar os serviços do marqueteiro.

Mais prazo

O delegado da PF também solicitou que seja encaminhado ofício ao STF pedindo a extensão do prazo do inquérito, que se encerrou no último dia 6.

Segundo o blog apurou, Temer já discutiu a prorrogação do inquérito da Odebrecht com seu advogado, Brian Alves Prado, e seus principais auxiliares, como Eliseu Padilha, na semana passada.

O presidente consulta seus aliados sobre a melhor linha de defesa para o caso.

Fonte: g1.globo.com/politica/blog/andreia-sadi

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Barra Do Corda portal de notícias, tudo sobre a nossa cidade com:

Rapidez, Verácidade e Ética.

Não se esqueça de se inscrever para receber nossas notícias. Digite seu e-mail e saiba tudo sobre Barra do Corda a nossa cidade.

Informações

Chat
Enviar via WhatsApp
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com