“Mulher que fala grosso tem que apanhar”, diz deputado

Os ânimos durante a votação no Plenário da Câmara dos Deputados da Medida Provisória 665, que endurece as regras de acesso ao seguro-desemprego e ao abono salarial, voltou a esquentar após sete minutos de interrupção para a retirada dos manifestantes contra a medida que estavam nas galerias e soltaram cópias de uma cédula de 100 dólares com as caras da presidente Dilma Rousseff, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, e gritavam “Fora PT”, “Fora Dilma”.
Durante o debate para a continuidade das tentativas da oposição para a obstrução da votação, a deputada Jandira Feghali (PCdoB- RJ) e o deputado Alberto Fraga (DEM-DF) tiveram um estranhamento. “Mulher que fala grosso tem que apanhar”, disse o democrata para Jandira enquanto ela falava que ia abrir um processo de quebra de decoro contra o deputado Roberto Freire (PPS-PE). Isso causou comoção das mulheres presentes que partiram para defender Jandira.
De acordo com os presentes, a deputada fluminense tomou as dores de Orlando Silva que estava falando ao microfone e foi interrompido por um tapinha no ombro de Freire e se queixou de que estava sendo agredido e gritou “não me toque”.
Sem medo
O deputado Alberto Fraga demonstrou tranquilidade em relação ao fato de Jandira afirmar que vai processá-lo pelas declarações feitas no Plenário da Câmara. “A Jandira processa todo mundo. Isso é um direito dela”, falou ele afirmando que não defendeu que mulher que fala grosso merece apanhar.
“Eu disse que se mulher quer participar na política batendo como homem e não quer apanhar como homem. Ou seja, eu quis dizer, em outras palavras, que da mesma forma que a mulher participa igualmente da política”, afirmou Fraga, acrescentando que ficou indignado com a forma “acintosa” que a deputada se dirigiu ao deputado Roberto Freire. “O Freire estava conversando com o deputado a frente de uma forma normal. Ele tocava pelas costas. Ela veio e se posicionou na frente dele e não sei qual foi o texto. Ela começou fazer a afronta”, afirmou. “Quando eu disse, a mulher que quer participar da politica batendo como homem e não quer apanhar como homem. Já estão dizendo que eu disse que é para bater em mulher”, afirmou ele afirmando que é uma “tática da esquerda se vitimar”.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Barra Do Corda portal de notícias, tudo sobre a nossa cidade com:

Rapidez, Verácidade e Ética.

Não se esqueça de se inscrever para receber nossas notícias. Digite seu e-mail e saiba tudo sobre Barra do Corda a nossa cidade.

Informações

Chat
Enviar via WhatsApp
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com