Meio Ambiente – Maranhão segue tendência global com a produção de energia eólica

O Maranhão segue uma tendência global ao se tratar da produção de energia sustentável. Com a instalação no ano passado de um parque eólico no município de Paulino Neves, a 197 km de São Luís, o estado está contribuindo com o crescimento do Brasil no ranking de produtores de energia eólica.

O projeto que ainda está em andamento, vai custar R$ 1,5 bilhão. Os primeiros 96 aerogeradores são responsáveis pela capitação dos ventos, estão em em atividade e produzem cerca de 220 megawatts de potência. Somente em 2017, a produção global de energia eólica somou 52,2 gigawatts.

Parque eólico em Paulino Neves (MA) ajuda o Brasil a crescer como produtor de energia eólica. (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Parque eólico em Paulino Neves (MA) ajuda o Brasil a crescer como produtor de energia eólica. (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Um gigawatt é capaz de abastecer uma cidade com 1,5 milhão de habitantes. A China que é o país líder em no segmento, instalou no ano passado cerca de 20 gigawatts a sua matriz energética. No Brasil, foram instalados mais dois gigas e com isso, o país ultrapassou o Canadá e ocupa a oitava posição no ranking mundial de produtores de energia eólica.

Com a instalação do parque na costa leste maranhense, o Brasil possui agora possui 500 parques que produzem o total de 13 gigawatts de energia. A maioria dos parques é localizado na Região Nordeste que é considerada com a melhor localização para capitação de ventos no planeta.

96 aerogeradores são responsáveis por capitar os ventos.  (Foto: Reprodução/TV Mirante)

96 aerogeradores são responsáveis por capitar os ventos. (Foto: Reprodução/TV Mirante)

De acordo com Shigeaki Leite Lima do Instituto de Energia Elétrica da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), a produção de energia eólica em terras maranhenses pode refletir positivamente no custo da energia aos consumidores.

“Uma grande característica da eólica é gerar uma quantidade de energia significativa. Ao ser colocada em locais próximos do consumo, como é o caso do Maranhão, estamos gerando uma energia mais próxima da gente e com isso, os custos para a transmissão são menores e isso refletiria também no custo da energia”, explica.

A Região Nordeste só escapou do racionamento no ano passado por conta dos aerogeradores. Na fase crítica das hidrelétricas, os parques eólicos abasteceram 11% do Brasil e 60% somente no Nordeste. A previsão do Conselho Global de Energia Eólica (GWEC) é que de em 2020 seja produzidos 60 gigawatts e de que em até 2022 seja de 840 gigawatts.

O nordeste é considerado a melhor região do mundo para capitação de ventos. (Foto: Reprodução/TV Mirante)

O nordeste é considerado a melhor região do mundo para capitação de ventos. (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Fonte:  Sidney Pereira, G1 MA

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Barra Do Corda portal de notícias, tudo sobre a nossa cidade com:

Rapidez, Verácidade e Ética.

Não se esqueça de se inscrever para receber nossas notícias. Digite seu e-mail e saiba tudo sobre Barra do Corda a nossa cidade.

Informações

Chat
Enviar via WhatsApp
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com