Maia trava pedidos de impeachment, e oposição promete ir ao STF

BRASÍLIA — Um mês após a apresentação de vários pedidos de impeachment contra o presidente Michel Temer a partir da divulgação da delação da JBS, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ainda não se posicionou sobre nenhum deles. A oposição cobra uma resposta de Maia, que é o responsável por dar continuidade ou arquivar os pedidos, e já promete inclusive ir ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Dos 23 pedidos de impeachment já apresentados contra Temer desde o início de seu governo, apenas um foi arquivado. Dos outros, 19 são relacionados à delação da JBS e três haviam sido apresentados após a saída de Geddel Vieira Lima da Secretaria de Governo, em novembro.

Segundo aliados, Maia vai aguardar a apreciação da Câmara sobre a denúncia que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deve apresentar na próxima semana contra Temer para se pronunciar sobre os pedidos de impeachment. De acordo com um interlocutor, Maia espera que a denúncia seja recusada e quer ter esse argumento para poder negar a tramitação dos pedidos.

CASO PODE CHEGAR AO STF

O primeiro pedido de impeachment foi protocolado pelo deputado Alessandro Molon (Rede-RJ), que está irritado com a demora de Maia em tratar do assunto. Molon afirma que, na próxima semana, entrará com mandado de segurança junto ao STF pedindo que a Corte determine ao presidente da Câmara a tomada de uma decisão.

Molon apresentou o pedido de impeachment em 17 de maio, após O GLOBO revelar que Temer foi gravado pelo empresário Joesley Batista, dono da JBS. O deputado considera “grave” o fato de Maia não ter deliberado ainda sobre o pedido e o acusa de proteger Temer.

— É muito grave não haver uma decisão, porque me impede, inclusive, de recorrer da decisão dele. O país está à deriva, e o presidente da Câmara, para proteger Michel Temer e dar estabilidade ao governo, impede o andamento do processo. Na próxima semana vou entrar com o mandado de segurança no Supremo pedindo que Maia se posicione. Essa demora agrava a crise política e econômica. O governo não governa e só pensa no que fazer para evitar a prisão do presidente — criticou Molon.

O líder do PT, Carlos Zarattini (SP), diz que seu partido, também autor de pedido de impeachment, continuará a pressionar para que Maia tome uma decisão. Mas, o petista salienta que Temer também deverá enfrentar a denúncia de Janot, que, segundo ele, tem tramitação mais célere que o impeachment e trará resultados semelhantes.

— Estamos pressionando para que ele tome uma posição. Mas há também fatos novos, como a decisão da PGR de apresentar denúncia, que tem um trâmite muito mais rápido que o pedido de impeachment. E, com a declaração do ex-presidente Fernando Henrique de antecipação das eleições, vai criando clima favorável para definir isto logo — afirma Zarattini.

 

Fonte: O GLOBO

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Barra Do Corda portal de notícias, tudo sobre a nossa cidade com:

Rapidez, Verácidade e Ética.

Não se esqueça de se inscrever para receber nossas notícias. Digite seu e-mail e saiba tudo sobre Barra do Corda a nossa cidade.

Informações

Chat
Enviar via WhatsApp
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com