Investigado na Lava Jato, Lobão assume CCJ hoje

BRASÍLIA – A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado será instalada nesta quinta-feira, às 10h. A maioria dos partidos indicou na noite de ontem os nomes para formar a comissão, composta por 27 membros. O senador Edison Lobão (PMDB-MA) será eleito formalmente nesta reunião o presidente da CCJ. Ele já foi indicado pelo PMDB e não há outro candidato.Pelas regras, o PMDB tem o direito de comandar a CCJ por ser o maior partido da Casa, com 21 senadores. O PMDB terá o comando com Lobão e o relator do caso da indicação de Alexandre de Moraes para uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF), que deverá ser o senador Eduardo Braga (PMDB-AM).

Investigado na Lava-Jato, Edison Lobão foi o escolhido pela bancada do PMDB, liderada por Renan Calheiros (AL). O senador tem quatro inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF), dois deles relacionados à Lava-Jato, e será o responsável por comandar a sabatina de Alexandre de Moraes, indicado ao STF pelo presidente Michel Temer para a vaga de Teori Zavascki, morto no último dia 19. Lobão já presidiu a CCJ entre 2003 e 2004.

Depois de muita briga na véspera, Lobão foi aclamado pela bancada do PMDB após o senador Raimundo Lira (PMDB-PB) desistir de uma disputa dentro da bancada. A escolha representou a vitória do grupo do ex-senador José Sarney (PMDB-AP), que ainda controla o PMDB do Senado, e tem hoje como principal representante Renan. Após a escolha, Lobão recebeu um telefonema de Michel Temer.

Com a instalação da comissão hoje, prevalece o plano do presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), de votar a indicação de Alexandre de Moraes no plenário da Casa até o dia 22 de fevereiro.

Lobão é investigado em quatro inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF). Dois deles apuram a participação dele no esquema de corrupção na Petrobras e desvendado pela Lava-Jato. Outros dois são desdobramentos da operação e investigam irregularidades na construção da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará. Lobão disse que as investigações não lhe constrangem para assumir o novo cargo.

— A investigação não deve causar constrangimento a ninguém. É uma forma inclusive de o alegado poder demonstrar que não é responsável por tais alegações caluniosas. A investigação não deve molestar a ninguém, não molesta a mim. Se houve alegação contra mim, é bom que seja investigado para que eu possa demonstrar que não passa de uma calúnia — disse Lobão, completando: — Sempre dormi tranquilo, Graças a Deus.

Em um dos inquéritos da Lava-Jato, a Polícia Federal (PF) apontou que Lobão acertou em 2014 uma propina de R$ 30 milhões com Ricardo Pessoa, dono da construtora UTC, para financiar campanhas do PMDB. Na época, Lobão era ministro de Minas e Energia. O segundo inquérito investiga vários senadores do PMDB e pessoas associadas por quadrilha, lavagem de dinheiro e corrupção passiva. O STF chegou a abrir mais dois inquéritos na Lava-Jato contra Lobão, mas eles foram arquivados por falta de provas.

Lobão também é alvo de dois inquéritos envolvendo a usina de Belo Monte.

Fonte: Cristiane Jungblut, André de Souza e Carolina Brígido do site http://oglobo.globo.com

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Barra Do Corda portal de notícias, tudo sobre a nossa cidade com:

Rapidez, Verácidade e Ética.

Não se esqueça de se inscrever para receber nossas notícias. Digite seu e-mail e saiba tudo sobre Barra do Corda a nossa cidade.

Informações

Chat
Enviar via WhatsApp
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com