CPI do BNDES é instalada na Câmara dos Deputados

A CPI que irá investigar os contratos de financiamento do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) foi instalada nesta quinta-feira (6) na Câmara dos Deputados.

Por um acordo entre os partidos, a presidência ficará com o PMDB, que indicou o deputado Marcos Rotta (PMDB-AM), e a relatoria, com o PR, que sugeriu o nome do José Rocha (PR-BA). Os nomes foram confirmados em uma eleição secreta, por 22 votos a favor. Não houve votos contrários nem abstenções.

Descontente com o acerto, o PT fez críticas ao arranjo articulado pelo presidente da Câmara,Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e tentou lutar pela relatoria da comissão. Recentemente, o peemedebista rompeu com o Palácio do Planalto e passou a integrar a oposição ao governo.

O cargo de relator é disputado porque compete a ele ditar o ritmo das investigações e elaborar um parecer ao final. Apesar dos esforços, o PTdeverá ficar com a segunda-vice-presidência da CPI.

A primeira vice-presidência ficará a cargo do PSDB, que indicou Miguel Haddad (PSDB-SP), e a terceira, com o PRB, que indicou Marcelo Squassoni (PRB-SP). Os nomes indicados pelos partidos precisarão ser confirmados por voto secreto. Cabe ao presidente, após eleito, nomear o relator, mas a praxe é que siga o acordo firmado.

No total, a comissão será composta por 27 membros titulares e igual número de suplentes. O requerimento de criação da CPI do BNDES é do deputado Rubens Bueno (PPS-PR), que pede que sejam investigadas supostas irregularidades envolvendo o BNDES ocorridas entre os anos de 2003 e 2015 relacionadas à concessão de empréstimos, que até junho estavam sob sigilo, concedidos a países como Angola e Cuba. Bueno questiona a classificação desses contratos como sigilosos, o que fará com que o seu teor só seja conhecido em 2027.

A CPI também deverá apurar empréstimos concedidos a empresas investigadas da Operação Lava Jato que seriam de fachada, além de operações de crédito em favor de empresas do grupo do empresário Eike Batista e do setor frigorífico. No requerimento, Bueno alega que “as dificuldades financeiras enfrentadas por estas empresas e o questionável retorno do investimento traz a necessidade de se investigar tais casos”.

Após eleito, Rotta fez um apelo aos colegas para não partidarizar os trabalhos da comissão. “Essa não é uma CPI do meu partido, não é uma CPI da oposição, não é uma CPI da situação. É uma CPI para investigar. Vamos trabalhar de forma isenta”, disse.

Ele acrescentou ainda que irá conduzir a comissão “sem perseguir ninguém”, mas que pretende investigar “custe o que o que custar e doa a quem doer”.

Em um breve discurso após ter o seu nome confirmado pelo presidente, o deputado José Rocha disse que o seu parecer será fruto do “entendimento e das discussões travadas” na comissão e que “refletirá todas as investigações”.

A próxima reunião da CPI foi marcada para a terça-feira (11), a partir das 14h30, para o relator apresentar seu plano de trabalho e os integrantes votarem requerimentos.

Apesar do embate prévio entre o PT e os demais partidos pelo comando da CPI, não houve protestos por parte de petistas na sessão de instalação da comissão, que durou menos de uma hora e transcorreu sem polêmicas.

Fonte: Fernanda Calgaro Do G1, em Brasília

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Barra Do Corda portal de notícias, tudo sobre a nossa cidade com:

Rapidez, Verácidade e Ética.

Não se esqueça de se inscrever para receber nossas notícias. Digite seu e-mail e saiba tudo sobre Barra do Corda a nossa cidade.

Informações

Chat
Enviar via WhatsApp
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com