Aécio comemora aliviado e diz que justiça foi feita

BRASÍLIA — O senador Aécio Neves (PSDB-MG) comemorou na noite desta terça-feira o fim do que chamou ser um “pesadelo”. Após o Senado derrubar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) e garantir ao tucano a retomada do mandato e o fim da reclusão domiciliar noturna, Aécio falou ao telefone com senadores, na companhia de deputados da bancada de Minas Gerais que foram para sua casa tão acabou a votação. (Confira o voto de cada senador)
Segundo os deputados mineiros, Aécio se prepara para a reassumir o mandato amanhã mesmo e diz que foi feita justiça.

— Aécio está bem sereno e tranquilo. Recebeu dezenas de ligações e está ligando para cada um dos senadores para agradecer o voto. Agora só esperar os tramites para reassumir. Está aliviado e diz que foi feita justiça — disse o deputado Danilo de Castro ( PSDB-MG), ao deixar a residência de Aécio.

O deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG) disse que o resultado — 44 votos contra as medidas cautelares impostas pela Primeira Turma do STF — não foi surpresa.

— Foi tudo dentro do esperado. Agora, ele deverá refletir, essa noite, sobre o discurso que fará ao retornar ao mandato — disse Abi-Ackel.

O deputado Domingos Sávio (PSDB-MG) reclamou de viés político nas decisões contra Aécio tomadas pelo ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot, que teriam sido seguidas pelo ministro Edison Fachin, do STF. Para ele, foram decisões açodadas e com teor político.

— A vitória não foi só de Aécio ( sobre Janot e Fachin). Que democracia é essa que a pessoa antes de virar réu já começam a pagar pena? Por 3 votos a 3 os ministros impuseram o que chamaram de pena alternativa, e um ministro ainda disse que era para servir de lição. Mas isso não está previsto na lei. Não podem usar os poderes que tem como instrumento de ação política — disse Domingos Sávio ao visitar Aécio.

Hoje pela manhã, antes da votação, estiveram na casa de Aécio o presidente interino do PSDB, Tasso Jereissatti (CE) e os senadores Antônio Anastasia (PSDB-MG) e Cássio Cunha Lima (PSDB-PB).

DENUNCIADO POR CORRUPÇÃO

Em junho, Aécio Neves foi denunciado por corrupção passiva e obstrução de Justiça, revelados pela delação dos donos e executivos da JBS. O senador tucano foi gravado pelo empresário Joesley Batista, dono da JBS, pedindo R$ 2 milhões, alegando que seria usado em sua defesa na Lava-Jato.

Dias depois, a Polícia Federal flagrou Frederico Pacheco, primo do senador, recebendo R$ 500 mil de um dos executivos da empresa. Frederico chegou a ser preso, junto com a irmã de Aécio, Andrea Neves, na Operação Patmos.

Segundo a Procuradoria-Geral da República, o pagamento foi feito em espécie, em quatro parcelas de R$ 500 mil cada, entre 5 de abril e 3 de maio, por meio de Frederico e Mendherson Souza Lima, assessor parlamentar do senador Zezé Perrella (PMDB-MG)

De acordo com a denúncia, Aécio também tentou atrapalhar as investigações da Operação Lava-Jato, na medida em que empreendeu esforços para interferir na distribuição dos inquéritos da investigação no Departamento de Policia Federal, pressionou para a substituição de Osmar Serraglio por Torquato Jardim no Ministério da Justiça e articulou a anistia do crime de caixa dois, que acabou não sendo aprovado, e a aprovação de projeto que trata do abuso de autoridade, como forma de constranger Judiciário e Ministério Público.

Fonte: MARIA LIMA do site https://oglobo.globo.com

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp

Barra Do Corda portal de notícias, tudo sobre a nossa cidade com:

Rapidez, Verácidade e Ética.

Não se esqueça de se inscrever para receber nossas notícias. Digite seu e-mail e saiba tudo sobre Barra do Corda a nossa cidade.

Informações

Chat
Enviar via WhatsApp
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com